quinta-feira, 9 de fevereiro de 2017

Beneficios do Babywearing #bebés

O colo, a mãe, o calor, o amor são tudo o que o bebé precisa!

E o babywearing proporciona tudo, ao mesmo tempo! E ainda tem vantagens!!!


* ajuda a reduzir o choro dos bebés em aproximadamente 50%

* ajuda a reduzir as cólicas, o refluxo e regurgitação

* ajuda na amamentação

* favorece o ganho de peso

* acalma

* promove um desenvolvimento saudável da coluna e das ancas do bebé

* ajudar a prevenir e a corrigir displasia da anca

* melhora o desenvolvimento muscular, a coordenação motora e o sentido de equilíbrio 

* posição de aconchego e conforto físico e emocional - posição intra-uterina

* permite aos bebés passar mais tempo num estado calmo e alerta, ideal para a aprendizagem e desenvolvimento

* optimiza o desenvolvimento mental e ajuda a desenvolver capacidades sociais (percebendo desde cedo as regras da comunicação) e percebendo as expressões faciais 

* sentem-se mais integrados na rotina familiar, melhorando assim a sua capacidade de comunicação e interactividade

* são mais independentes e interagem melhor com o meio envolvente

* mantém-nos em segurança dos perigos do dia-a-dia (pessoas que gostam de por a mãozinha no bebé e dar beijinhos e pegar neles e... e.... e....)

* ficam mais tranquilos, dormem mais e melhor - com o embalo contínuo e o coração da mãe, o bebé sente-se novamente no útero

* respiram ar mais puro - o ar na altura do carrinho é o mais poluído por pós e gases dos tubos de escape dos carros. Essa poluição é dissipada com a altura.

* previne contra deformações do crânio (plagiocefalia) devido ao uso excessivo da babycoque/ovo ou cadeiras de passeio


Vários pediatras e pesquisadores na área infantil, relatam os benefícios de nos primeiros tempos de vida, criar um ambiente parecido ao que o bebé, tinha no útero materno. Durante nove meses, o bebé esteve num ambiente intra-uterino, aconchegado, aninhado, com o seu corpo em posição fetal e com os barulhos do organismo da sua mãe (como o bater do coração) e, de um momento para o outro, após o parto, encontra-se esticado, longe do calor e da pele da sua mãe, numa caminha só sua e em perfeito silêncio.

Ao deitarmos o bebé na cama ou no berço, ele vai sentir-se só! A sua mãe de repente desapareceu!!! Ele não é balouçado, como era. Os ruídos cardíacos e intestinais que o acompanharam ao longo de sensivelmente 40 semanas, também já não se fazem escutar e o espaço onde está deitado é tão grande que até dá para estar todo esticado! É uma grande mudança, que não pode ser radical

Tentar simular o que o bebé sentia ao longo da gravidez, transportando o bebé junto à mãe no colo, é a solução. Mas nem sempre estamos preparadas para carregar um bebé durante tanto tempo na mesma posição, especialmente quando ele começa a ganhar peso. Assim, o transporte ao colo é, muitas vezes, substituído pelo carrinho (uma troca que, em termos emocionais, prejudica a relação).

Em algumas culturas indígenas onde transportar o bebé ao colo (Babywearing) é comum, os bebés choram normalmente alguns minutos por dia. Ao contrário dos bebés ocidentais que chegam a chorar horas por dia. Chorar em demasia pode prejudicar o desenvolvimento mental do bebé, devido à quantidade de hormonas de stress que inunda o cérebro do bebé. Assim os bebés que não choram tanto, vão gastar as suas energias em actividades mais importantes como comer, observar, brincar e até crescer.


Estudos apoiam não só a segurança do babywearing, como o estabelecem como um imperativo biológico.

https://bwbrasil.wordpress.com/artigos-sobre-babywearing/10-razoes-para-voce-usar-um-sling/
http://www.wearsthebaby.com
https://babywearinginternational.org/what-is-babywearing/

Sem comentários:

Publicar um comentário